Ando vendo por aí

O que acho dessa teoria maluca dos Astronautas do Passado

ver post

Minha viagem pra Disney, em 2013

ver post

Meus favoritos do PS4

Mais uma lista pro blog, dessa vez com meus games preferidos dessa plataforma maravilhosa que é o PS4.

Deixa eu logo dizer que tenho um gosto muito específico em games. Jogos em terceira pessoa, com modo história. Você aí, que acessa o meu blog e é mulher… dá pra jogar online em paz? Não dá, né?

Adoraria poder jogar mais online, mas no momento em que as pessoas (e aqui eu quero dizer meninos) vêem meu nome no ps, descobrem que sou mulher, MEU DEUS, tudo muda de figura. Parece até que quem tem vagina é alienígena. ALÔ, MENINOS JOVENS DO MUNDO DOS GAMES ONLINE, SE ACALMEM. Controlem seus hormônios e deixem o machismo fora dos games!

Então pra evitar um estresse desnecessário, jogo apenas o modo de história. Parei até de jogar Fifa – que era muito divertido e ainda detenho a 1ª divisão do 2016 desde que parei de assinar a Plus 😢

ps: eu não jogo nada de terror, tenho pesadelos hahahahah não me julguem. Lá vai minha lista, não necessariamente na ordem de gosto, inclusive, viu. Na ordem que lembrei mesmo:

Uncharted 4: A Thief’s End

Lançado em maio de 2016, segue o desfecho da saga de Nathan Drake. No jogo, o ladrão de tesouros aposentado precisa retornar ao seu antigo trabalho para encontrar o tesouro do pirata Henry Avery e salvar a vida do seu irmão Sam, que ele julgava estar morto. Um jogo maravilhoso e que, infelizmente, não dura muito! Zerei bem rápido.

Batman Arkham Knight

Lançado em Junho de 2015, o jogo conta como o Espantalho com a ajuda do Cavaleiro de Arkham, consegue cagar Gotham inteira, provando evacuação da cidade e muita miséria. O jogo até seria parecido com outros 3, não fosse pela incrível presença do Batmóvel (dava gritos quando usava, era muito bom). Também há side missions que são muito legais! Recomendo demais esse game.

Mad Max

Lançado em setembro de 2015, seguimos da visão de Max. A situação pós apocalítica é idêntica a dos filmes anteriores. Há mais gasolina do que água e pouca gente sã rodando por aí. Depois de ter seu carro roubado pelo bando de Erectus (só os nomes lindos), Max se junta com Chumbucket, uma espécie de sócio, que constrói para ele um outro carro, o Magnum Opus. Mas não é só seu antigo carro que Max quer resgatar.

Esse jogo foi, pra mim, uma bela surpresa. Apesar de ser repetitivo como qualquer jogo de mundo aberto em terceira pessoa, a jogabilidade é incrível, o Magnum Opus pode ser personalizado de várias formas e as lutas com os subchefes são bem divertidas! São horas de diversão garantida, pode ir na fé. WHAT A LOVELY GAME.

inFAMOUS Second Son

Lançado em março de 2014, a história se passa em Seatle e jogamos com o Delsin Rowe que tem uns super-poderes bacanas. E como eu joguei faz um tempo do cacete, vou colar a sinopse da Wikipedia: Second Son acontece em 2016, sete anos depois dos eventos de Infamous 2, em que Cole MacGrath ativou o Inibidor de Raios (RFI) para destruir o “condutor” (super humanos, com este nome devido à habilidade de canalizar poderes) John White, também conhecido como a Fera. Da explosão pensou-se que tinham sido eliminados todos os condutores por todo o mundo, mas aqueles fora do raio da explosão ou com resistência natural acabaram por sobreviver. Com medo das habilidades dos condutores depois da destruição de Empire City, é criado o Departamento Unificado de Proteção (DUP), e as grandes cidades por todos os Estados Unidos são constantemente vigiadas à procura de atividade de condutores, à qual a DUP chama de bio-terroristas.

Watch Dogs 2

Lançado em novembro de 2016, Watch Dogs tenta melhorar o que falhou em seu predecessor. O jogo é vivo, colorido, cheio de referências a cultura pop e um modo sealth bem legal, podendo usar drones e carrinhos de controle remoto sem ser detectado pelos inimigos. Não dá pra não comparar com GTA V ( remasterizado pra PS4 em 2014) porque é óbvio que há muita inspiração no jogo da Rockstar. Porém WD2 se destaca por si só. San Francisco é linda, dá vontade de andar em todas as ruazinhas e fazer as side missions, enlouquecendo os inimigos com o drone.

No jogo somos o injustiçado hacker Marcus Holloway que foi acusado de crimes que não cometeu pelo ctOS. E então ele encontra uma equipe que também está disposta a destruir o ctOS de uma vez, o DeadSec. Jogo recomendado!

Rise of the Tom Raider – Edição definitiva 20 anos

Lançado no final de 2016, Rise of the Tomb Raider tem a jogabilidade idêntica a Tom Raider, lançado em 2013 e que renovou as esperanças dos fãs da Rainha dos games. No jogo tentamos descobrir os mistérios de Kitej, na Rússia, porque lá estão os segredos para a imortalidade.

Life is Strange

Lançado entre janeiro e outubro de 2015, em Life is Strange vivemos o papel de Maxine Caulfield, a Max, que depois de se mudar, volta a Arcadia Bay, no Oregon para faculdade de Fotografia, retornando (mais ou menos) a sua vida antiga. Porém tudo está diferente. Meiga e introvertida, Max caga a linha do tempo mais do que o Flash. É um jogo muito bom, com dublagem incrível de Hannah Telle, dando voz a Max, e Ashly Burch como Chloe Price. Mais do que recomendado. Inclusive está na PS PLUS desse mês! Corre lá e baixa!

Rayman Legends

Lançado em 2014, Rayman é um puta jogo fofo e com o design lindíssimo. Diversão para a família inteira. E o legal é que à medida que você joga, pode desbloquear personagens. Eu sempre jogo com a menininha! É ótimo, passo horas jogando e nem tá no final ainda!

The Witcher 3: Wild Hunt

Lançado em maio de 2015, esse jogão da porra foi desenvolvido pela CD Projekt Red e é um RPG incrível e imersivo. Baseado nas histórias escritas por Andrzej Sapkowski. No jogo controlamos o bruxo Geralt de Rívia, um caçador de monstros por recompensa. A história é foda, e eu já falei dela nesse post aqui. A história se passa logo após os eventos do último livro da saga, Season of Storms (sem tradução pra português ainda) e mostra Geralt, Yennefer e mais um punhado de amigos, em busca de Ciri, para encontrá-la primeiro e salvá-la da Caçada Selvagem.

Não posso dizer o quanto recomendo o jogo e a leitura das obras do Andrzej Sapkowski.

Ainda não joguei Horizon Zero Dawn, mas será minha próxima aquisição! E, provavelmente, vai fazer parte dessa lista mais pra frente. Ou talvez ganhar um post único!